quarta-feira, 17 de Junho de 2009

Batata


Consumida em todo o Ocidente, em larga escala, a batata sustentou populações inteiras em épocas de fome, provando ser extremamente alimentícia.

Depois do limão, é o maior fornecedor de vitamina C, além de complexo B, potássio, cálcio e ferro.

Apresenta 20% de carboidratos, é pouco calórica e a maior parte de seus nutrientes encontra-se na casca ou junto a ela.

Seu suco não é muito saboroso, mas misturado à cenoura, salsinha ou agrião torna-se mais agradável ao paladar.

Seleção:
Dê preferência às batatas grandes que tenham olhos, que indiquem a possibilidade dos tubérculos brotarem, significando grande quantidade de enzimas e estruturas vivas.

Aquelas que não podem brotar não devem ter grande poder alimentício.

Rejeite as batatas com manchas pretas, que concentrem um acalóide tóxico chamado solanina.

Funções terapêuticas:
Acidez estomacal, cicatrização, artrite, gastrite e úlcera péptica.

Substâncias encontradas na batata:

Vitamina A: Cegueira noturna, pele seca e áspera, fadiga, perda de olfato e apetite.

Complexo B:Pele seca e áspera; acne; cabelos opacos, secos ou brancos; pouco apetite; distúrbios do estômago.

Vitamina C:Sangramento das gengivas, dores nas juntas, cura lenta de ferimentos e fraturas, equimoses, corrimento nasal, má digestão.

Vitamina D: Artrite, diarréia, dentes e ossos frágeis, eczema e psoríase.

Cálcio: Enfraquecimento dos ossos, dores nas pernas e costas, ossos quebradiços.

Cobre: Fraqueza geral, imperfeições da pele e má digestão.

Ferro: Fraqueza, palidez, prisão de ventre e anemia.

Fósforo: Problemas ósseos, distúrbios nervosos, stress, fraqueza e problemas de peso.

Magnésio: Nervosismo, excitação muscular e tremores.

Manganês: Paralisia, convulsões, tonturas, cegueira e surdez em crianças.

Sódio: Perda de peso, cãibras musculares, desidratação, língua seca e alcalose.

----------------------------------------------

Batata

Batata

Alimento para a humanidade

A batata, conhecida no Brasil como batata inglesa é na verdade originária da região dos Andes, na América, onde vem sendo cultivada a cerca de 7000 anos.

A batata só foi introduzida Na Europa no século 16. É uma hortaliça do tipo tubérculo, pertencente à família Solanaceae, a mesma do tomate, berinjela, jiló e pimentão.

É a terceira fonte de alimento para a humanidade sendo superada apenas pelo arroz e trigo.

A batata é pobre em gordura e rica em carboidratos. É fonte importante de fósforo, vitaminas do grupo B, e se destaca como fonte de vitamina C entre os alimentos básicos.

COMO COMPRAR

A batata pode ser encontrada em uma grande diversidade de cores de casca e polpa. Entretanto, no Brasil, a preferência é por tubérculos de casca e polpa amarelas. Em regiões do Rio Grande do Sul e Santa Catarina também se consome batata de casca rosada e polpa creme.

Compre somente a quantidade necessária para o consumo de 1 a 2 semanas, de modo a ter sempre produto fresco em casa. A maioria dos consumidores prefere batatas de casca lisa, sem defeitos e de ótimo aspecto externo, entretanto pequenos defeitos na casca não comprometem a qualidade da polpa e o valor nutritivo da batata, sendo eliminados quando a batata é descascada. Evite comprar tubérculos brotados porque estes têm menor durabilidade e menor qualidade nutritiva.

Época de melhores preços de setembro a fevereiro.

COMO CONSERVAR

A batata se conserva relativamente bem fora da geladeira por até 2 semanas, quando mantida em local fresco, arejado e escuro. É importante deixar os tubérculos ao abrigo da luz para evitar o esverdeamento. A parte verde pode conter a substância solanina que é tóxica.

Evite armazenar a batata em geladeira pois esta quando mantida sob temperatura muito baixa fica com o sabor adocicado e escurece ao ser fritada.

A batata pode ser congelada cozida ou crua. No primeiro caso, cozinhe as batatas, amasse-as como um purê, envolva-o em filme de plástico e congele-as. Ou então, lave as batatas, descasque-as e pique-as em cubos. Mergulhe os pedaços em água fervente por cinco minutos e resfrie-os em seguida colocando-os em uma vasilha com água e gelo. Escorra a água, acondicione os pedaços em filme de plástico e congele.

COMO CONSUMIR

A batata é uma hortaliça muito versátil que pode ser utilizada em uma infinidade de pratos, como acompanhamento de qualquer tipo de carne, ave ou peixe ou substituindo o arroz e o macarrão. As maneiras básicas de preparo da batata são a batata cozida, assada e frita. A forma de preparo mais popular, a batata-frita, não é a mais saudável, em função da perda de nutrientes e do excesso de gordura associado a este prato. Enquanto uma porção de batatas cozidas tem 75 calorias, a mesma quantidade de batatas fritas tem 274 calorias. Procure diversificar o uso da batata preparando-a também como salada, sopa, purê, pão, bolo salgado e cozido.

Para cozinhar, lave bem os tubérculos, coloque-os em uma panela com água fervente e sal, e deixe ao fogo somente pelo tempo necessário para que fiquem macios.

A casca da batata é comestível e quando o cozimento é feito com casca a perda de nutrientes é menor. Neste caso, lave bem as batatas em água corrente antes de cozinhá-las. Descasque-as ainda quentes; se estiverem frias, mergulhe-as em água para facilitar a retirada da casca.

Para assar as batatas inteiras e com casca, em forno à gás ou elétrico, faça furos na casca com um garfo, passe manteiga ou azeite na casca e asse por cerca de 1 hora. Para reduzir o tempo necessário para assá-las deve se fazer um pré-cozimento por 5 minutos em água fervente antes de levar ao forno.

Para fritar corte a batata no formato desejado, lave, seque bem e frite em óleo quente até que estejam douradas e macias.

A batata escurece rapidamente depois de descascada e picada. Para evitar o escurecimento deixe-a dentro de água até o preparo do prato.

DICAS

Não é preciso descascar as batatas antes de passá-las pelo espremedor; a casca fica retida no utensílio, enquanto a polpa passa com facilidade.

Faça pequenas bolinhas com as sobras do purê de batata, polvilhe com farinha de rosca e frite como croquetes.

Adicione batatas-cruas cortadas a sopas ou ensopados que tenham ficado salgados demais. As batatas vão absorver o excesso de sal durante o cozimento.

Se desejar que o sabor das batatas usadas em saladas fique mais acentuado, tempere-as quando ainda estiverem quentes.

Fonte: www.cnph.embrapa.br

-------------------------------------

Batata

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS

A batatinha, batata americana, ou impropriamente, batata inglesa, é originária dos Andes, na América do Sul. Introduzida na Europa através da Inglaterra e da Espanha, é hoje um dos produtos alimentares mais difundidos em todo o mundo.

É uma planta dicotiledônea, família Solanaceae, gênero Solarum, espécie Solanum tuberosum L.. Duas sub- espécies tem importância para a cultura: a subsp. andígena , que caracteriza - se como sendo de dias curtos, e sua utilização se dá apenas como fonte de variabilidade genética nos programas de melhoramento genético e a subsp. tuberosum , considerada de dias longos, é mais adaptada e utilizada para o cultivo comercial.

A batata é uma planta herbácea, geralmente pubescente, com altura variável ao redor de 60cm, com caules muito ramificados. A planta pode se apresentar de forma ereta, aberta e decumbente. Na forma ereta os ramos permanecem próximos ao caule, dando à planta um aspecto mais ou menos vertical. Na forma aberta, os ramos ficam mais afastados do caule e, na decumbente, acham-se prostados junto ao solo.

A multiplicação da planta pode ser de forma assexuada ou de forma sexuada. No primeiro caso é feita através dos " tubérculos sementes’’ , sendo o método empregado para exploração comercial. A multiplicação sexuada é feita por intermédio das sementes propriamente ditas, sendo usada apenas nos trabalhos de melhoramento.

A parte subterrânea da planta é formada por raízes, estolões e tubérculos. O turbéculo é a parte aproveitada comercialmente, sendo este um rizoma que se desenvolve e acumula reservas amiláceas. O formato tubérculo e a cor de sua casca ( periderme ) e da polpa são característicos de cada cultivar.

As partes verdes da planta apresentam quantidade elevada de alcalóide venenoso "solanina’’ e, por essa razão, não podem ser utilizadas na alimentação. Entretanto, esse alcalóide falta completamente nos tubérculos, exceto quando estes permanecem expostos à luz. Os tubérculos, além de serem utilizados diretamente na alimentação, são utilizados, também, nas indústrias do álcool, da glicose e de farinhas.

ÉPOCA DE PLANTIO

A época de plantio abrange os meses de agosto, setembro e outubro ( safra de primavera - verão, de primavera ou simplesmente safra ), e os meses de janeiro, fevereiro e março ( safra de outono - inverno, de verão ou safrinha ).

O ciclo da batata é completado com aproximadamente 100 dias, podendo variar de acordo com a cultivar e com as condições ambientais ocorridas durante o desenvolvimento das plantas.

As principais cultivares e suas características

Os principais produtos alimentícios cuja matéria prima é a batata são:

  • Purê de batata
  • Batata frita ( chips, palitos, palha )
  • Batata à vapor
  • Batata assada
  • Nhoque de batata
  • Pão de batata
  • Salada de batata, entre outros aproveitamentos.

BIBLIOGRAFIA

MANUAL DE RECOMENDAÇÃO PARA O CULTIVO DE BATATA NO RIO GRANDE DO SUL E SANTA CARATARINA. FEPAGRO.

Fonte: www.ufrgs.br

------------------------------------------

Batata

Nome científico

Solanum tuberosum L.

Família

Solanaceae

Origem

América do Sul

Características da planta

Planta herbácea, constituída de caules angulosos e ramificados, de coloração verde ou arroxeada, com altura variável de até 50 cm. A parte subterrânea é formada por estolhos, caules laterais, na extremidade dos quais aparecem os tubérculos, parte utilizável da batateira. As folhas são compostas por três ou mais pares de folíolos laterais, um apical e alguns rudimentares, todos de formato arredondado. Apresenta flores autopolinizadas, originando um fruto verde, cheio de sementes miúdas.

Características da flor

As flores são hermafroditas, reunidas em inflorescências tipo cimeira na extremidade do caule. Apresentam coloração branca, rosa ou arroxeada.

Solanum tuberosum

Originária do Peru ou da Bolívia, a bata ou batata-inglesa como é conhecida foi difundida pelos colonizadores europeus e hoje é alimento contemporâneo mais usado nas mesas americanas e européias.

Transformou-se também no alimento mais importante para as populações pobres de vários países, pôr ter um custo relativamente barato e por ser altamente nutritiva.

Um alimento tão útil e necessário nos tempos modernos deve ser amplamente pesquisado para um melhor aproveitamento.

As dificuldades para o desenvolvimento de novas variedades de cultivares são muitas, entre elas: recursos limitados para pesquisas; variações climáticas, ou seja, é quase impossível se desenvolver uma variedade que se adapte a todas as regiões brasileiras; tempo: pois são necessários em média dez anos para que uma nova variedade seja aprovada.

A maior vantagem das cultivares importadas é que elas provêm de regiões mais frias como Holanda, Suécia e Alemanha, que tem uma menor concentração de pulgões, os principais vetores das doenças (como por exemplo o vírus Y da batata conhecido como MOSAICO, o vírus do enrolamento das folhas da batata e o vírus X da batata); no Brasil para se ter a mesma qualidade é necessário que as sementes sejam produzidas em estufas revestidas com telas antiafídicas que impedem a contaminação das sementes pré-básicas.

No Brasil diversas variedades de cultivares nacionais já estão sendo pregadas, como a "Baronesa" ou a "Contenda" ou ainda a "Itararé", mais ainda há muito o que se pesquisar, e somente através da pesquisa genética poderemos associar em uma variedade as características necessárias.

O mercado de sementes é dominado pelas cultivares importadas, principalmente as européias. Mas o que poucos sabem, ou sabem e não acreditam é que no Brasil já são produzidas sementes com igual ou melhor qualidade que as importadas e com um custo cerca de 30% mais baratos.

Época de plantio

Cultura fevereiro - março; das águas: agosto - setembro; Alta Sorocabana e Alta Paulista: abril - maio; Vale do Paraíba: maio - junho.

Plantio

No Brasil é possível devido ao clima, fazer até 3 plantios ao ano, ou como são mais conhecidas, a de Secas, que são plantadas no período de estiagem; a da Águas que são plantadas no período das chuvas e as Temporonas ou de Inverno que são plantadas no período de inverno.

O ciclo vegetativo da cultura da batata varia de 90 a 120 dias dependendo da cultivar, do clima e do solo. A interrupção do ciclo pode ocorrer de forma natural ou artificial utilizando-se de desfolhantes ou dessecantes, que vão matar a rama e as ervas daninhas facilitando a colheita e evitando futuras contaminações do tubérculo através da parte aérea da planta (rama).

Outra vantagem da dessecação é a do produtor poder antecipar a colheita, aproveitando o preço de mercado se estiver favorável.

Após a dessecação deve-se esperar um período que varia de 10a 15 dias para que a pele da batata se fortaleça ou "se firme", facilitando o arranquio e conseguir um bom valor no mercado consumidor.

Espaçamento

80 x 35cm.

Batatas

Sementes necessárias: (peso médio de 35g)

1,3t/ha ou 43 caixas de 30kg ou 26 sacas de 60kg/ha.

Combate à erosão

Plantio em linhas de nível e, nos terrenos mais declivosos, em curvas de nível.

Adubação e calagem

A escolha da fórmula de adubação e a calagem devem basear-se na análise de solo. Nessa impossibilidade, de maneira geral empregar, por hectare, 2t de calcário e 120kg de N, 300kg de P2O5, 90kg de K2O. Empregar adubos de fácil solubilização. Recomenda-se o uso de tortas em mistura, Incorporar bem os adubos ao terreno, evitando que entrem em contato direto com as batatas-semente, sobretudo nos solos arenosos. Aplicar metade do nitrogênio em cobertura, antes do chegamento, quando as plantas devem estar com cerca de 30cm de altura.

Tratos culturais

Capinas e amontoas com sulcadores; emprego de herbicidas; tratamentos fitossanitários.

Irrigação

Dispensável no, plantio das águas e necessária no de fevereiro - março e 1 maio - junho. Pode ser por aspersão, por infiltração e levantamento do lençol freático, muito usado no Vale do Paraíba.

Combate à moléstias e pragas

Requeima

Usar Maneb (Manzate D) e Dithane M-45 e cúpricos: oito ou mais aspersões preventivas; pinta-preta: intercalar produtos à base de estanho (Batasan, Brestan etc.); vaquinha: Parathion; ácaro: enxofre duplamente ventilado a 40% em talco , Thiovit , Kelthane; vírus, murcha, nematóides: usar batatas-semente, sadias, preferivelmente certificadas, e rotação de cultura.

Época de colheita

Três a quatro meses após o plantio, quando as ramas secarem, ou, antecipadamente, com o uso d e desfolhante:

Produção normal

Tubérculos: águas: 8 a 14t/ha
Seca, com irrigação: 15 a 20t/ha.

Melhor rotação

Gramíneas, adubos verdes pasto ou capineiras, desde que as plantas em rotação não sejam suscetíveis aos nematóides ou moléstias que atacam a batatinha. Alqueive.

Batata semente

As mudas são replantadas em canteiros de alvenaria suspensos contendo substrato estéril e cercadas por telas antiafídicas para evitar a presença de insetos (pulgões), transmissores das viroses ("mosaico", "enrolamento" e vírus x da batata).

Todos esses cuidados são necessários para que não haja contaminação das sementes pré básicas que são produzidas em sua estufa de 520m².

O futuro da bataticultura depende muito do produtor. Quem não utilizar da tecnologia disponível no mercado não sobreviverá, pois a concorrência é cada vez maior e a política de preços é muito instável ou seja, o produtor só sabe quando vai ganhar ou perder quando já não há mais tempo para nada.

No Brasil o preço pode variar de 6 a 60 reais em questão de 24hs, e vice-versa, o que leva muitos produtores a ruína ou pararem de plantar, o que faz com que as importações aumentem.

Observações: preparar muito bem o terreno utilizar batatas-semente com 40g de peso médio . Manter sempre a cultura no limpo, até a colheita . Evitar batatas-semente de procedência e cultivar desconhecidos, bem como os terrenos infestados com murcha e nematóides e sujeitos a encharcamento.

Fonte: www.agrov.com

----------------------------------------

Batata

A batata foi a escolhida pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação para ser a estrela da vez. No dia 18 de outubro de 2007, foi oficialmente lançado na sede da FAO em Nova York o Ano Internacional da Batata, que prevê comemorações em alto estilo, com um calendário repleto de atividades para 2008.

Para começar, de 14 a 18 de abril será realizada em Brasília (DF) a 30ª Conferência Regional da FAO para a América Latina e Caribe. Neste e nos demais eventos que serão realizados no decorrer do ano, as discussões versarão sobre as estratégias para tornar a batata reconhecida na sua função primordial para a agricultura, economia e segurança alimentar mundial. Como bem ressaltou Jacques Diouf, diretor-geral da FAO durante o lançamento oficial do Ano Internacional da Batata, “o mundo tem os meios para implementar o direito à alimentação. Chegou a hora de atuar”.

A batata também será tema central de mais conferências em outros países - Suíça, em maio, Egito, em outubro e um encontro final na India. Texto alusivo à data, publicado no site da FAO, destaca que a iniciativa vem trabalhando em duas frentes: conscientizar a população do planeta sobre a importância da batata como alimento nos países pobres, e promover a pesquisa e o desenvolvimento da produção. Conforme a FAO, são metas que contribuirão para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, notadamente a erradicação da pobreza extrema e da fome, a redução da mortalidade infantil, a melhoria da saúde materna, a sustentabilidade do meio ambiente e a criação de uma Parceria Mundial para o Desenvolvimento.

Existem evidências que corroboram a importância da batata como alimento de enorme relevância para atender a esses objetivos. Conforme estudos feitos por especialistas, nos próximos 20 anos a população mundial aumentará em 100 milhões de pessoas por ano, sendo que 95% nos países em desenvolvimento. Daí a importância de se assegurar a capacidade de alimentação, sendo a batata capaz de desempenhar um papel de destaque no enfrentamento desse desafio.

HISTÓRIA

De origem andina, a batata tem suas raízes no Peru, mais precisamente na região do lago Titicaca. Tornou-se conhecida do resto do mundo quando do retorno de conquistadores espanhóis à Europa, ocupando gradativamente um importante espaço na alimentação da população mundial. Desde então, a sua produção tem normalmente acompanhado o crescimento da população, mas o consumo não mostra o mesmo equilíbrio. Quando da comparação entre países ricos e os em desenvolvimento, a FAO aponta uma média anual de consumo de batata por pessoa na África de 14,18 kg; na América Latina de 23,65 kg; na América do Norte, 57,94 kg; e na Europa de 96,15kg. E os números do Brasil não são nada estimulantes: o consumo per capita atingiu apenas 14,23kg, em 2006.

Na avaliação de Nozomu Makishima, analista da Embrapa Hortaliças, “não temos cultura para consumir batata”. Segundo ele, o brasileiro ainda não aprendeu a dar o devido valor à batata, mais barata que o trigo, o milho ou o arroz, ao contrário de outros países da América Latina, onde é a principal colheita.

O professor Paulo Cesar Tavares de Melo, da USP, e presidente da Associação Brasileira de Horticultura, compartilha da opinião do analista da Embrapa Hortaliças. “Não há no Brasil uma cultura de consumo da batata e nem de sua importância nutricional”. E exemplifica: “Se uma família pobre vai ao supermercado e encontra o quilo da batata por R$ 2,00 e um frango por R$ 1,80, ela leva o frango”.

Ele destaca que a batata é o terceiro alimento na relação proteína/caloria, ou seja, a quantidade de proteína existente em relação à massa energética do alimento. O Ano Internacional da Batata chama a atenção para essas qualidades nutricionais, principalmente como forma de combate à fome. Não por acaso metade da produção mundial de batata em 2006 – cerca de 315 milhões de toneladas – foi produzida em países em desenvolvimento.

Países como a China e a India, juntos, produzem quase um terço do total mundial. Apesar de o brasileiro não dispensar à batata a mesma atenção dada a outras hortaliças, instituições de pesquisa vêm trabalhando para mudar este cenário. A partir desse esforço, já há no mercado muitas cultivares que atendem ao gosto do freguês.

NOVAS CULTIVARES

O esforço é comum e envolve diversos centros de pesquisa da Embrapa, conforme o pesquisador Paulo Melo, daárea de Melhoramento da Embrapa Hortaliças. Ele destaca que um dos programas unificados envolve a Embrapa Clima Temperado, a Embrapa Hortaliças e o Escritório de Negócios de Canoinhas, da Embrapa Transferência de Tecnologia.“Com a unificação dos programas, substituímos, noâmbito interno, a competição pela cooperação. Com isso, agregamos competências complementares e eliminamos as duplicidades”, ressalta o pesquisador. Ele acrescenta que a coroação do sucesso dessa união deu-se no ano passado, com o lançamento da cultivar BRS Ana, indicada para o processamento na forma de palitos fritos (fritas à francesa).

Essa indicação culinária, segundo o pesquisador, é um detalhe que merece ser melhor explicitado. “O que temos hoje são cultivares adaptadas ao cozimento, inaptas para serem utilizadas para fazer batata frita, por exemplo. Para obter cultivares próprias para fritura, estamos trabalhando para elevar em 18%, no mínimo, o conteúdo de sólidos solúveis – atualmente, nas cultivares que dominam o mercado brasileiro, o teor de sólidos solúveis não ultrapassa 14%”.

A pesquisa para a obtenção de cultivares mais sustentáveis, que exijam menor quantidade de adubos, e ofereçam maior produtividade, também tem feito parte dos projetos da batata.

“Quando o nosso programa estiver completamente implementado, está dentro de nossas projeções oferecer ao mercado, a cada dois ou três anos, uma nova cultivar com essas características”, salienta.

Fonte: www.jornalentreposto.com.br

Sem comentários:

Enviar um comentário

Procure aqui

Abacate Abacateiro Abacaxi Abajeru Abisinto/Losna Abiu Abobora Abobrinha Abrotamo Abrunheiro Abuta Abutua Acacia Acacia-Falsa Acanto Acapurana Acariçoba Acelga Acerola Aconito Adonis Agarico Branco Agave Agnocasto Agoniada Agrimonia Agrião Agrião da Lagoa Agrião do brejo Aguapé Aipo Ajowan Alamanda Alcachofra Alcaparra Alcarávia Alcaçuz Alecrim Alecrim do Campo Alface Alfafa Alfavaca Alfazema Algodão Alho alimentação Almeirão Ameixa Amendoas. Amendoim Amieiro Amor do Campo Amora Andiroba Angelica Angico Anis Anis estrelado Aperta Ruão Aquiléia Araticum Araçá Arnica Aroeira aromaticas Arroz Arruda Artemisia Artemísia Aspargo Assa Peixe Avelã Avenca Azeitona Açafrão Açafrão do Prado Açafrão-Verdadeiro Açaí Açucena Babaco Babaçu Babosa Babosa (Aloe Vera) Bacupari Bacuri Baleeira Banana Barbatimão Bardana Baru Batata Batata de purga Batata doce Baunilha Beringela Betula Bilimbi Biribá Boldo do Chile Borragem Borrazeira-branca Brejauva Brocolis Buchinha do Norte Burirti Butiá Caapeba Cabaça Cabelo de Milho Cabeludinha Cabreuva Cacaueiro Cactus Caferana Café Caimito Cajazeiro Cajepute Caju Calabaça Calabura Calaminta Calamo Calamondim Calendula Calumba Cambará Cambucá Cambuí Camomila Cana Comum Cana de Açucar Cana de Macaco Cana do Brejo Canambaia Canela Canfora Canfora de Jardim Canhamo Capacete de Jupter Capim Cidrão Capim Limão Capim pé de galinha Capim Rosário Capim Santo Capitu Capuchinha Caqui Caralluma Carambola Carapiá Cardo Mariano Cardo Santo Carnaúba Caroba Carobinha Carpineira Carqueja Amarga Carqueja Doce Carrapicho Carvalho-alvarinho Cará Casca de Carvalho Casca Preciosa Cascara Sagrada Castanha da India Castanha do Pará Castanha Portuguesa Catinga de Mulata Catingueira Catuaba Cavalinha Cebola Cenoura Centaurea Centella Cerefólio Cerejeira Chapéu de Couro Chapéu de Napoleão Chicoria Choupo negro Chuchu Chá de Brugre Chá de Bugre Chá Preto Chá Verde Cimicifuga cipo de são joão Cipreste Cipó Azougue Cipó Cabeludo Cipó Cabloco Cipó Cravo Cipó Cruz Cipó Cruzeiro Cipó Prata Cipó Suma Coco Coentro Cogumelo Comigo-Ninguem-Pode Confrei conselhos uteis Copaiba Copo-de-Leite Cordão de Frade Coronha Couve Couve-flor Cravo da India Cubiu curativas Curcumã curiosidades Damiana Dente de Leão doenças Douradinha Embauba Endro Equinácea Erva Baleeira Erva Cidreira Erva de Bicho Erva de Passarinho Erva de Santa Maria Erva de São João Erva Doce Erva Picão Erva Tostão ervas ervas. Pega Pinto Escarola Espinafre Espinheira Santa estetica Eucalipto EUROPEIAS Fedegoso Feijão Feijão Azuki Fenogrego Figo Freixo Fruta pão frutas Frutas para diabetes Fucus Vesiculosus Funcho Garra do Diabo Genciana Gengibre Gergelim Gervão Roxo Ginkgo biloba Ginseng Goiaba Grapefruit Graviola grãos Guaco Guaraná Guaçatonga Hamamélis Hibisco Hipérico Hortelã Imburana de Cheiro Indicador de Ervas Medicinais Ingá Inhame Ipe Roxo Ipecacuanha Jaborandi Jabuticaba Jaca Jacatupe Jambo Jambolão Japecanga Jarrinha Jasmim Jatobá Jenipapo Jequitibá Juazeiro Jurema Preta Jurubeba Lacre Vismia Laranja legumes Limão Linhaça Lobélia Losna Lotus Louro Lupulo Lágrimas de N.Srª Lúcia-lima Macela Malva Mama Cadela Mamica de Cadela Mamão Mandioquinha Manga Mangabeira Manjericão Maracujá Marapuama Mate Maxixe Maxixe Peruano Maçã Medronheiro Medronho Melancia Melissa Melão Melão de São Caetano Menta Mentruz Mil Homens Milho Morango Mostarda Mulungu Mussambé Mutamba Nabo Nogueira Noz-Moscada nutrição Nó de Cachorro Nóz de Cola Oliveira Oregano Pacová Palma Christi Palmito Panacéia Papo de Peru para meditar Parietaria Pariparoba Parreira brava Pata-de-vaca Pau d'arco Pau Ferro Pau Pereira Pau Tenente Pedra-Ume-kaa Pepinos Pequizeiro Pera pilriteiro Pimenta Pimenta de macaco Pimentão Pinha Pinheiro manso Pistache Pitangueira Pitomba plantas toxicas Poaia Poejo Porangaba preparo Pulmonária Pulsatilla Quebra Pedra Quiabo Quina-Quina Quinua Quixabeira Rabanete Repolho Romã Rooibos Rosa Branca Rosa-rubra Rucula Ruibarbo Sabugueiro Salgueiro-branco Salsa Salsaparrilha Salvia Samambaia Sapotí Sapé Sassafrás Segurelha Sene Sete Sangrias Sobreiro Soja Stevia Sucupira Tajá de Cobra Tamarillo ou tomate de árvore Tanchagem Tayuia Tilia Tomate Tomilho Ulmeiro Umbauba Unha de Gato Urtiga Urucum Uva Uva Ursi Valeriana Velame do campo Verbasco Verbena verduras Vetiver Vidoeiro Vitex Agnus-castus zedoaria Zimbro